Policia

POLICIA CIVIL DE UMUARAMA APURA VENDA DE CRIANÇA DE 4 ANOS PARA CASAL

A Policia Civil de Umuarama investiga um caso inusitado, onde as informações dão conta que uma mãe teria vendido seu filho de 4 anos a um casal morador no parque das Jabuticabeiras. A mãe do menor é usuária de drogas e alega que devido ao seu vício não teria condições de criar seu filho, no entanto, a bisavó da criança afirma que o casal se aproveitou da fragilidade do vício da mãe para ficar com a criança pagando uma quantia R$ 500,00.

Prevendo que a criança poderia estar correndo perigo, a bisavó foi até a 7ª subdivisão para fazer a denuncia, de imediato a policia civil diligenciou até a casa que estaria a mãe e a criança. Ao chegar na casa a policia comprovou a veracidade dos fatos narrados no boletim de ocorrência pela bisavó Foram encaminhados à delegacia a criança a mãe e a mulher que supostamente teria pago pela criança.

 

Bisavó

A aposentada Nair de Oliveira Arruda bisavó da criança afirma que o casal exigiu R$ 1000,00 para que a criança que já vivia com ela pudesse voltar para sua casa, veja o depoimento.

Suposta compra

A dona de casa Patrícia Berto da Silva está sendo acusada de ter compra a criança por  R$ 500,00, no entanto, nega as acusações e mostra um documento pedindo a guarda provisória da criança, contudo ela também afirma que seu marido deu um dinheiro para mãe da criança, veja a entrevista.

 

Delegado

Diante de tanto impasse, a policia civil instaurou um inquérito policial para apurar todos os fatos, os envolvidos serão ouvidos em depoimento para ao final do inquérito o delegado poderá definir se indicia ou não o casal.

O delegado Fernando Ernades Martins, disse que a bisavó relatou no boletim de ocorrência, que a residência aonde a crianças estaria morando, é um ponto de venda de drogas. Veja o que o delegado disse.

A criança foi levada pelo Conselho tutelar ao abrigo para fazer toda a documentação, e em seguida a criança será devolvida para a bisavó provisoriamente, até que a promotoria tome uma decisão definitiva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *