Brasil

PETROLEIROS PARAM PRODUÇÃO DE SEIS PLATAFORMAS NO RIO, DIZ SINDICATO

O Sindicato dos Petroleiros no Norte Fluminense (Sindipetro-NF) atualizou o quadro de adesão na Bacia de Campos à greve de 72 horas da categoria. O balanço divulgada na parte da tarde mostra que 25 plataformas participam do movimento de paralisação de um total de 51 plataformas, mas apenas seis estão com a produção paralisada, enquanto quatro já estavam em fase de manutenção, fora da linha de produção.

Entre as 25 plataformas mobilizadas, 15 foram entregues em operação ao contingente mínimo da Petrobras, outras sete foram entregues paradas, sendo que quatro estão em manutenção e três em razão da equipe de contingência da companhia não ter como operar as plataformas. As outras três tiveram adesão porque as equipes de petroleiros programadas para assumir as plataformas hoje (30), decidiram não embarcar nos helicópteros que as levariam para alto-mar no norte fluminense.

De acordo com o sindicato, a greve de 72 horas tem um caráter de advertência. A categoria já aprovou para o dia 12 de junho, uma nova assembleia para avaliar se os petroleiros entrarão em greve por tempo indeterminado.

A categoria reivindica a redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis, a manutenção dos empregos e retomada da produção interna de combustíveis, além do fim da importação da gasolina e outros derivados de petróleo, e o término das privatizações de subsidiárias da companhia e do desmonte do Sistema Petrobras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *